terça-feira, 6 de dezembro de 2011

COMÉDIA - PARTE 39

OS MUPPETS - O FILME+

OS IRMÃOS CARA-DE-PAU+

SANGUE NEGRO=

OS MUPPETSCOMENTÁRIO:
Jason Segel (da série How I Met Your Mother) levou até a Disney uma proposta de trazer os Muppets de volta às telonas. ELe sentia falta dos bonecos. E eu também.
A Disney não só topou a empreitada como deixou Segel escrever o roteiro, que explora justamente a ausência e aparente esquecimento das pessoas em relação aos bonecos criados pelo genial Jim Henson.
No filme, o muppet Walter viaja até Los Angeles com seu irmão Gary (o carismático Segel) e a namorada dele, Mary (Amy Adams, no mesmo módulo fofo/musical de Encantada). Lá ele descobre que o Teatro Muppet será destruído por um milionário malvado (Chris Cooper, de Adaptação) que descobriu que existe petróleo sob o chão. Resta aos Muppets (com a ajuda de Walter) se reunir para um último show e conseguir o dinheiro para salvar o local.
Confesso que fiquei muito emocionado em ver os Muppets na telona. Cresci vendo os filmes e o desenho dos Muppets Babies (alguém pode me explicar cadê a Skitter?). Só conheci a série de tv (genial!) mais tarde, com o advento do dvd.
Este novo filme tem a difícil tarefa de satisfazer os fãs nostálgicos e apresentar os bonecos às crianças de hoje. Um desafio e tanto que, a julgar pelas bilheterias e críticas, deu ótimo resultado.
O filme conta com um roteiro redondinho, cheio de deliciosas piadas metalinguísticas e nonsense (o ônibus do coral é de matar), além de uma constelação de participações especiais surpreendentes e divertidas. Nem vale a pena citá-las para não estragar a surpresa.
Caco (agora Kermit... aff, Disney), Piggy, Fozzie, Gonzo e companhia continuam carismáticos como sempre, e brilham em momentos cômicos e dramáticos. Sim, dramáticos. Eu chorei umas três vezes, principalmente quando a abertura do programa é reproduzida ao vivo.
Cativante, muito engraçado e cheio de bons sentimentos e sarcasmo, Os Muppets é um tributo delicioso aos bonecos mais amados do planeta.
Apenas uma ressalva: a existência apenas de cópias dubladas. A dublagem sempre muito competente da Disney é eficiente na maior parte do tempo (cresci vendo os Muppets dublados), mas os momentos musicais saem um pouco prejudicados. E nem é pela tradução das canções, mas porque em vários momentos o movimento labial dos atores é drasticamente diferente.
Deveriam haver cópias legendadas para que pudéssemos escolher. Eu veria o filme dos dois jeitos.
Porém, a diversão está garantida. Vida longa aos Muppets! Que tenham voltado para ficar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário